ANUNCIE AQUI
073 9 9952-3037

IBIRAPITANGA: Homicídio do cantor Netto Paz completa 40 dias; ninguém foi preso até o momento

  • Por Itamarati Notícias terça-feira, 5 de dezembro de 2017 01:06:00 Comentários
    O assassinato do cantor e pastor Netto Paz completa 40 dias nesta segunda-feira (04) e até o momento ninguém foi preso e não há – sequer – mandados de prisão em aberto pelo crime.

    Netto Paz foi morto no dia 24 de outubro quando retornava de Ubaitaba na companhia de suas duas filhas, sua esposa e um outro pastor.
    O cantor foi assassinado no trevo da BR-101 com a BA-650.

    Ao parar no acostamento para fazer a conversão, Netto Paz foi surpreendido por dois homens que estavam num Fiat Strada, de cor branca, que sequer anunciaram assalto e já foram atirando.

    O cantor foi alvejado por diversos tiros e morreu ainda no local. Uma de suas filhas foi atingida por tiros de raspão, foi internada e liberada dias depois.

    Logo após o crime, o delegado de Ibirapitanga, Lane Almeida, que conduz as investigações, descartou a hipótese de assalto e afirmou que a morte do cantor foi uma execução.

    “Queremos cobrar das autoridades a elucidação desse crime bárbaro. É um absurdo que após 40 dias ninguém tenha sido preso ainda”, protestou, sob a condição do anonimato, um Pastor de Ibirapitanga. O delegado da cidade de Ibirapitanga não se pronuncia sobre o caso.


    Ferrari Modena

    Netto Paz foi assassinado no dia 24 de outubro (Foto: Reprodução/Redes Sociais)


    O assassinato do cantor e pastor Netto Paz completa 40 dias nesta segunda-feira (04) e até o momento ninguém foi preso e não há – sequer – mandados de prisão em aberto pelo crime.

    Netto Paz foi morto no dia 24 de outubro quando retornava de Ubaitaba na companhia de suas duas filhas, sua esposa e um outro pastor. O cantor foi assassinado no trevo da BR-101 com a BA-650.

    Ao parar no acostamento para fazer a conversão, Netto Paz foi surpreendido por dois homens que estavam num Fiat Strada, de cor branca, que sequer anunciaram assalto e já foram atirando.

    O cantor foi alvejado por diversos tiros e morreu ainda no local. Uma de suas filhas foi atingida por tiros de raspão, foi internada e liberada dias depois.

    Logo após o crime, o delegado de Ibirapitanga, Lane Almeida, que conduz as investigações, descartou a hipótese de assalto e afirmou que a morte do cantor foi uma execução.

    “Queremos cobrar das autoridades a elucidação desse crime bárbaro. É um absurdo que após 40 dias ninguém tenha sido preso ainda”, protestou, sob a condição do anonimato, um Pastor de Ibirapitanga. O delegado da cidade de Ibirapitanga não se pronuncia sobre o caso.