[Fechar]

ANUNCIE AQUI
073 9 9952-3037

GANDU - Mãe de garoto que morreu no Hospital João Batista de Assis grava vídeo e rebate nota divulga pelo diretor da Unidade

  • Por Itamarati Notícias domingo, 17 de março de 2019 01:20:00 Comentários
    Ainda segundo Joelma, como não apresentava nenhum sinal de complicação mais grave, Gabriel seria liberado no mesmo dia.





    Pastora Nildes trabalha há 16 anos na região da Cracolândia. Usuários chegam a esconder o cachimbo quando ela passa, em sinal de respeito.


    Joelma Pacheco compartilhou um vídeo contando sua versão do caso na noite dessa quinta-feira, (14), e rebateu a nota divulgada pelo médico e diretor do Hospital João Batista de Assis, Ernandes Guedes. De acordo com a mãe de Gabriel Santos Pacheco, 16 anos, que morreu na última terça-feira, (12), o garoto chegou ao local “sorrindo e brincando” e apresentado apenas um quadro de febre.

    “Ele foi recebido por Dr.º Ernandes ainda no corredor do hospital. Gabriel entrou no hopsital sorrindo, brincando e várias pessoas acompanhou isso dele… Gabriel estava ótimo, só iria tomar uma dipirona na veia para combater a febre e ser liberado para ir pra casa”, disse a mãe do garoto.

    Ainda segundo Joelma, como não apresentava nenhum sinal de complicação mais grave, Gabriel seria liberado no mesmo dia e ficou em observação até que a febre abaixasse. “Ele estava tão bem, que o SAMU ficou esperando para levar ele de volta pra casa”, concluiu.

    Em nota divulgada na última quarta-feira, (13), Dr.º Ernandes Guedes informou que, “o paciente entrou no quadro de depressão cardiorrespiratória enquanto sua equipe tentava trocar a cânula usada por Gabriel, e que mesmo com a as tentativas de reanimação por substâncias venosas e até mesmo intracardíaca veio a óbito”.

    No vídeo divulgado, a mãe do garoto pontua como negligência a forma pela qual o médico usou para atender seu filho. Ainda em nota, o Diretor do HJBA chamou de “má fé”, a forma em que as pessoas vem utilizando as redes sociais para espalhar notícias falsas e criar terrorismo psicológico, “se aproveitando da dor das famílias”. Em relação aos familiares que perderam seus entes queridos, Ernandes manifestou sentimentos e disse compreender a dor dos familiares.
    *COM INFORMAÇÕES DO DIÁRIO PARALELO

    Veja o vídeo